*

Offline DEUS

  • T. Contabilidade
  • Prata
  • **
  • 23
  • 0
IRS
« em: Janeiro 28, 2016, 01:26:55 pm »
Boa Tarde

Deparei-me com uma situação relativa ao validar uma fatura relativa a prémio de seguro de saúde, em que dá a mensagem que o código CAe do emitente não é susceptivel de enquadrar em despesas de saúde




*

Offline paula batalha

  • T. Contabilidade
  • Platina
  • ****
  • 206
  • 7
Re: IRS
« Responder #1 em: Janeiro 31, 2016, 01:40:58 pm »

Bom dia colega, segundo o que se encontra no Código do IRS, o Artigo 86º Prémios de Seguros foi revogado. Os prémios de seguros só é dedutível, quando se trata de pessoas com deficiência.
Se é esse o caso e não conseguiu colocar no e-fatura, provavelmente, deverá indicar qual o setor de atividade a que respeita aquela despesa. Senão, a melhor opção será colocar em Despesas Gerais.

Artigo 86.º Prémios de seguros
(Revogado.)
Artigo 87.º Dedução relativa às pessoas com deficiência 1 - São dedutíveis à coleta por cada sujeito passivo com deficiência uma importância correspondente a quatro vezes o valor do IAS e por cada dependente com deficiência, bem como, por cada ascendente com deficiência que esteja nas condições da alínea e) do n.º 1 do artigo 79.º, uma importância igual a 1,5 vezes o valor do IAS.
2 - São ainda dedutíveis à coleta 30 % da totalidade das despesas efetuadas com a educação e a reabilitação do sujeito passivo ou dependentes com deficiência, bem como 25 % da totalidade dos prémios de seguros de vida ou contribuições pagas a associações mutualistas que garantam exclusivamente os riscos de morte, invalidez ou reforma por velhice.
3 - No caso de contribuições pagas para reforma por velhice a dedução depende de o benefício ser garantido, após os 55 anos de idade e cinco anos de a duração do contrato, ser pago por aquele ou por terceiros, e desde que, neste caso, tenham sido comprovadament e tributados como rendimento do sujeito passivo, com o limite de (euro) 65, tratando-se de sujeitos passivos não casados ou separados judicialmente de pessoas e bens, ou de (euro) 130, tratando-se de sujeitos passivos casados e não separados judicialmente de pessoas e bens.
4 - A dedução dos prémios de seguros ou das contribuições pagas a associações mutualistas a que se refere o n.º 2 não pode exceder 15 % da coleta de IRS.
5 - Considera-se pessoa com deficiência aquela que apresente um grau de incapacidade permanente, devidamente comprovado mediante atestado médico de incapacidade multiúso emitido nos termos da legislação aplicável, igual ou superior a 60 %.
6 - É dedutível à coleta, a título de despesa de acompanhamento, uma importância igual a quatro vezes o valor do IAS por cada sujeito passivo ou dependente, cujo grau de invalidez permanente, devidamente comprovado pela entidade competente, seja igual ou superior a 90 %.
7 - Por cada sujeito passivo com deficiência das Forças Armadas abrangido pelo Decreto-Lei n.º 43/76, de 20 de janeiro, e pelo Decreto-Lei n.º 314/90, de 13 de outubro, que beneficie da dedução prevista no n.º 1 é, ainda, dedutível à coleta uma importância igual ao valor do IAS. 8 - As deduções previstas nos n.os 1, 6 e 7 são cumulativas.


Espero ter ajudado,

Paula Batalha


*

Offline kushinadaime

  • T. Contabilidade
  • Diamante
  • *****
  • 2164
  • 57
Re: IRS
« Responder #2 em: Janeiro 31, 2016, 04:25:55 pm »
Isso será para o modelo 37 a ser entregue em Fevereiro, não entra no e-factura.


*

Offline Fernando Costa

  • T. Contabilidade
  • Platina
  • ****
  • 431
  • 0
Re: IRS
« Responder #3 em: Janeiro 31, 2016, 08:52:30 pm »
Isso será para o modelo 37 a ser entregue em Fevereiro, não entra no e-factura.
Concordo com o colega.
Cprs
FC


 

Votações

Você não está autorizado a ver Sondagens neste quadro.
Maio 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 [29] 30 31

Desculpe! Não há eventos disponíveis neste momento.